Aprendizado

O aprendizado do violoncelo não pode ser considerada uma tarefa fácil. O recomendado é que o estudante procure um bom professor; isso irá evitar dissabores ao longo do aprendizado. Você poderá encontrar bons professores particulares e em bons conservatórios. Após chegar a um estágio avançado talvez seja recomendável o aperfeiçoamento fora do país.

Para o apoio ao aprendizado, ou mesmo caminhar sozinho, voce poderá recorrer aos Métodos. Existem vários, dentro os quais podemos citar as várias publicações Dotzauer e Suzuki.

Um curso completo pode durar tanto quanto um curso completo de piano, entre 6 e 10 anos. Mas você poderá aprender a tocar razoavelmente em menos de um ano.

Postura

A postura correta pode ser a solução para que você jamais venha a ter problemas no futuro. É um bom investimento insistir nisso no início, pois os dividendos certamente virão.

O cello é seguro entre as pernas do instrumentista, que estará sentado com a espinha ereta (ereta não significa reta!). Os joelhos manterão o instrumento firme e encaixado nas saliências internas dos mesmos. O braço do cello estará passando ao lado da orelha esquerda, com o espigão devidamente ajustado para o melhor conforto e posicionamento da mão esquerda. O arco é seguro com suavidade e firmeza pelos dedos da mão direita.

Se você lê inglês, pode querer ver a página de Leonid sobre como segurar o cello; o endereço está aqui. Dicas interessantes também são encontradas na página sobre como segurar o arco; o endereço está aqui.

Ao posicionar a mão esquerda para a Primeira Posição o polegar repousa debaixo do braço do cello, com o dedo médio sobre as cordas e oposto ao polegar, e curvado de forma natural. Não deve haver tensão no polegar, ele apenas tocando o braço do cello ligeiramente. Dessa forma, com o deslizar desse dedo e do polegar, o cellista consegue pressionar a corda A e a nota média da corda C. Note que o polegar permanece encostado na parte de baixo do braço do cello e não flutua enquanto o instrumento é tocado.

O cotovelo esquerdo fica um pouco elevado, afastado do corpo, mas não tão elevado a ponto de parecer uma asa de avião! Isso será importante no futuro, à medida em que o instrumentista vem a desenvolver técnicas que cobrem posições mais avançadas de mão esquerda, nas quais o polegar deixa a posição citada e vai para cima do espelho, atuando como dedo que pressiona cordas; nessas posições o cotovelo se eleva.

A empunhadura do arco

O arco no violoncelo é empunhado de maneira semelhante ao violino e à viola (que em inglês recebe a denominação overhand), diferentemente da empunhadura do contrabaixo (empunhadura Dragonetti), onde o arco é seguro "por baixo" (em inglês recebe a denominação underhand). Para detalhes sobre as diversas escolas sobre como segurar o arco, consulte a ótima página do luthier Rafael Sando sobre o arco dos instrumentos de cordas.

No que se refere ao arco o importante é eliminar pontos de tensão. O braço deve estar em movimento todo o tempo, fluindo como uma onda, mas sem tensão. Isso não só previne problemas de dor no braço, como permite que você se expresse de forma mais eficaz ao tocar. Note também que o movimento do braço dá potência, uma vez que o punho é relativamente fraco.

Técnicas de arco e espelho

As técnicas de arco e espelho devem ser aprendidas com um professor. Mencionamos aqui os principais aspectos.

Técnicas de arco (braço direito):

Movimentos
Produção do som e qualidade de som (Ponto de contato, Velocidade, Pressão)
Mudança de Corda
Dinâmicas Básicas
Golpes de Arco Básicos: Détaché, Martelé, Portato, Spiccato, Sautillé, Ricochet, Staccato Martelé, Staccato Spiccato, Staccato Volante Arcadas (Divisões do arco e golpes de arco combinados em exercícios)

Técnicas de espelho (braço esquerdo):

Posições do Braço
Posições Intermediárias
Posições do Polegar
Extensão de Posição
Mudança de posição
Força e Flexibilidade dos dedos da mão esquerda, trinados
Cordas Duplas
Vibrato
Prática das técnicas de espelho pelo método de J. Starker
Exercícios específicos de acordo com os estudos e obras que estão sendo estudadas

Técnicas de aprendizado conforme o estágio do estudante poderão ser vistas na futura página sobre as Etapas de Aprendizado do violoncelo.

As posições de mão esquerda

São 5 as posições da mão esquerda no violoncelo, a partir da pestana.

A Primeira Posição ...

A Segunda Posição ...

(em construção)

...

Na 4a. posição a mão se projeta para cima do instrumento.

Harmônicas: As harmônicas são produzidas tocando-se as cordas levemente, sem pressioná-las contra o espelho; na metade da corda se produz a oitava da corda; em um-terço se produz a quinta da corda, na mesma oitava; tocada a um-quinto o som é o da terça da corda na segunda oitava; na metade da metade o som é o da segunda oitava da corda.

Pizzicato: é produzido puxando a corda com o indicador da mão direita, enquanto o polegar se apoioa ao lado do espelho.

Ao iniciar-se no violoncelo o aluno toca na Primeira Posição ou nas posições de escalas.

Há as posições de escalas maiores, correspondentes às cordas do cello, que usam as posições de dedos 0, 1, 3 e 4. Por exemplo, a escala de Ré Maior é dada iniciando-se no 0 da IIc. Fica então:

- IIc. (corda Ré): 0, 1, 3, 4 - que se inicia em Ré-2
- Ic. (corda Lá): 0, 1, 3, 4 - terminando em Ré-3

Executar corretamente as escalas é vital para um celista, uma vez que as escalas estão nos fundamentos da música e da técnica. Se você aprendê-las bem estará pavimentando seu progresso. São 12 escalas maiores, 12 melódicas menores e 12 menores harmônicas. Você pode praticar cada um por cerca de 3 semanas, tocando em diversos tempos e com diferentes ataques de arco, com a orientação do seu professor.

Executar bem a escala de Ré Maior é muito importante para o principiante. Já vimos um método para violoncelo que diz que essa escala deve ser executada "um milhão de vezes" por quem está iniciando! Execute-a até a exaustão, até o ponto em que se torne tão normal quanto beber água!

Métodos

Quer você tenha um professor ou não, os Métodos para Violoncelo poderão ajudá-lo. Sugerimos os seguintes:

- F. Dotzauer, volumes 1 e 2
- G. Schroeder, volumes 1, 2 e 3. (o vol. 3 trabalha bastante a clave de tenor)
- Suzuki

Dicas na internet

No site da International Cello Society você poderá encontrar dicas interessantes na seção "The ins and outs of cello playing", que pode ser encontrada na divisão de "Tips".